A avaliação institucional é um dos componentes do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES, ela compreende um processo contínuo de pesquisa e comunicação que visa a subsidiar a instituição na reflexão e aprimoramento de sua atuação, conforme missão, objetivos e metas, indicados em seu Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI.

 

Conforme explicita o MEC-INEP, a Avaliação Institucional se divide em duas modalidades:

 

  1. Autoavaliação – Coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) de cada instituição e orientada pelas diretrizes e pelo roteiro da autoavaliação institucional da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES.
  2. Avaliação externa – Realizada por comissões designadas pelo Inep. Essa avaliação tem como referência os padrões de qualidade para a educação superior expressos nos instrumentos de avaliação e nos relatórios das autoavaliações. O processo de avaliação externa, independente de sua abordagem, orienta-se por uma visão multidimensional que busque integrar suas naturezas formativas e de regulação numa perspectiva de globalidade. Em seu conjunto, os processos avaliativos devem constituir um sistema que permita a integração das diversas dimensões da realidade avaliada, assegurando as coerências conceitual, epistemológica e prática, bem como o alcance dos objetivos dos diversos instrumentos e modalidades. (< http://portal.inep.gov.br/avaliacao-institucional>)

 

Desde 1993, a Universidade vem implementando e implantando seus processos e projetos de autoavaliação que são conduzidos pela Comissão Própria de Avaliação – CPA, demonstrando, desde então, sua preocupação em manter seu exercício de busca de qualidade e excelência de suas atividades-fim: ensino, pesquisa e extensão.

 

O processo de avaliação visa a identificar fatores que interferem positiva ou negativamente no desempenho da instituição, fornecendo subsídios para a compreensão da sua realidade e subsidiando a gestão acadêmico-administrativa para a realização do planejamento de suas atividades.

 

Quem conduz o processo autoavaliativo é a Comissão Própria de Avaliação (CPA), composta por representantes professores, profissionais técnico-administrativos, de alunos, representantes da sociedade civil e egressos.

 

Em todas as atividades avaliativas procurou-se observar uma metodologia, cuja fundamentação é o da Avaliação Iluminativa proposta por Malcom e Hamilton (1972) que se desdobra em outros: a) Paradigma Fundante Crítico Dialético (Gamboa, 1999) e os complementares Empírico Analítico (Santos Filho, 1995) e Socioantropológico (Parlett e Hamilton, 1997), que darão suporte para as análises dos resultados das avaliações realizadas pela CPA.

 

Desde o reconhecimento da Universidade, a autoavaliação vem se consolidando, podendo vivenciar com segurança os princípios indicados pelo SINAES – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior, implantado pela Lei nº 10.861/2004.

 

O SINAES é mais que um sistema. É uma política de governo voltada à avaliação da educação superior, que coloca a avaliação institucional no centro do processo avaliativo e abrange todas as Instituições de Educação Superior do país.

 

As produções da CPA, bem como os resultados das avaliações, estão disponíveis para consulta, em documentos, disponibilizados na área da coordenação de cada Curso e são encaminhadas via e-mail institucional.